terça-feira, 24 de junho de 2008

SOMOS O QUE PENSAMOS

Como somos o que pensamos?
Alguém já explicou isso para você?
Quer tentar entender?
É só ler.


AMPARADORES ESPIRITUAIS - PARTE I
Wagner Borges

[...] Nossos pensamentos e emoções se plasmam energeticamente em nossa aura, em nosso corpo espiritual. Assim, nós somos a somatória do que pensamos, sentimos e fazemos durante a vida. A cada noite, quando nos desprendemos para fora do corpo físico, o corpo espiritual carrega a vibração de tudo que ocorreu naquele dia. Na hora da morte, a vibração do corpo espiritual é a soma de tudo que você pensou, sentiu e fez durante uma vida inteira. [...]

[...] Inferno e Paraíso são portáteis: você carrega dentro. Se está bem, o Paraíso está dentro de você. E o Inferno é a mesma coisa, é um estado íntimo. Veja uma pessoa cheia de auto-culpa e compare com aquela imagem clássica do diabo colocando alguém dentro da caldeira e espetando. A auto-culpa espeta mais do que qualquer diabo, porque nem é preciso o Inferno vir de fora: ele já está dentro e o diabo é você mesmo. [...]

[...] Mas uma coisa é certa: não vale a pena fazer o mal. Não é que Deus vai punir ou o Diabo vai pegar, mas você carrega de dentro de si tudo aquilo para fora e forma o ambiente. Todo algoz se transforma em vítima. O que Jesus ensinou sobre tentar fazer o bem, tentar ajudar os outros na medida do possível não foi à toa. Aquilo não tem nada de religioso - é código de vida. [...]
Matéria publicada na Revista Sexto Sentido N. 21 - maio de 2001


NOTA DA LUA NUA: Se você quiser ler o texto na íntegra, clique aqui em IPPB

2 comentários, falta o seu:

ana lucia disse...

E é preciso ter consciência de que nossos pensamentos são, existem, têm poder.
O pensamento é o que precede o agir.
Tudo o que pensamos, passa a existir em um plano imediato, passando a ser uma "forma-pensamento".
Sendo assim, pode-se dizer, de modo simples: Pense bem, pense o bem!
Pensar positivamente sobre tudo faz com que tudo ocorra de maneira positiva.
Já o oposto...nem pensar...

É preciso também estar atento aos pensamentos que realmente são nossos e quais os que não são, mas que são captados por nós.
Os pensamentos que não foram gerados por nós podem ser bons ou não.
Na última hipótese, não deixemos que eles nos dominem, modifiquem nosso humor e nosso ânimo.
O pensamento tem poder, e não só os nossos, mas também pensamentos alheios, se a eles nos deixarmos submeter.
Saí escrevendo automáticamente e acho melhor nem olhar o que escrevi acima, sob pena de apagar metade, ou tudo, até.
: )
Beijo!

Lua Nua disse...

Que bom que não leu Donana, porque ficou MUITO bom o que você escreveu, tão bom que vai virar um post. Obrigada pela participação deste quilate.

Beijos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...