sábado, 28 de junho de 2008

FUI DEMITIDA


Desenho feito por mim no Corel Draw


Bem, acho que nem mesmo cheguei a ser admitida porque nem passei do estágio inicial de estudo de viabilidade.

Fiz um projetinho legal chamado Plano de Comunicação onde coloquei os pontos fortes, os fracos e as mudanças sugeridas. O sócio/marido gostou, mesmo com a falta de grana que todo empreendimento tem na fase inicial, conversamos sobre ir brincando com meu projeto aos poucos, conforme os clientes fossem aparecendo e a grana entrando. Sem estresses e sem pressa.

Eu só não contava era com o ciúme da sócia/esposa. Ela projetou essa parte para ela e apesar de já estar com acúmulo de serviço, ela não gostou de abrir mão.

Tá bom né? O negócio é dela e ela abre e fecha para quem ela quiser, mas...

1. Ela não é administradora;
2. Não tem o conhecimento com a meninada boa e criativa da faculdade de comunicação (é o curso que meu filho tá fazendo);
3. Não tem boas entradas com os melhores professores da facu, mas meu filho sabe os que são bons;
4. Não tem boas entradas com dois bons grupos de bebedores (galerinha da minha filha e alguns amigos cariocas que moram aqui);
5. Ela não tem tempo de sobra. Eu tenho...

Conversei com os 3 aqui de casa: marido, filha e filho e a resposta deles foi:

Marido:
Um time quando entra em campo pode fazer gol no primeiro minuto de jogo, nos 46 minutos do segundo tempo ou não fazer gol nenhum, mas os jogadores não desistem nunca, pois sabem que outros jogos virão.

Filha:
Ah, mãe! Se ela não gostou da tua cara, não insiste! Você nem precisa disso, ia ser apenas uma coisa divertida que você ia fazer. Sei que seria divertido e sério, mas se ela num quer, deixa pra lá.

Filho (vendo um folder que ela mandou fazer):
Humpf! Mãe num estressa, deixa!!! Ela só vai fazer merda mesmo...

Confesso que desde terça-feira à tarde quando fui ao restaurante conversar, levei o notebook com coisas que eu tinha criado, alguns trabalhos impressos do meu filho e muita vontade de fazer um trabalho legal e tomei com um puta balde com gelo na cabeça, fiquei down.

Hoje ouvi uma musiquinha que me ajudou muito. Nessa música ele fala partes e sussurra outras partes, como querendo reforçar o que falou. Nas partes que ele fala eu optei por maiúsculas e na parte sussurrada em minúsculas.

Voilà!

MAIS LEVE E DE BRANCO

Oswaldo Montenegro

QUE MARAVILHA NÃO SENTIR MAIS AMOR
eu tô mais leve e de branco...
NÃO VER MAIS GRAÇA NO SEU BRILHO (eu já vi)
sentar sozinho num banco...
E OLHAR A RUA SEM MEU OLHO TE PROCURAR
E ACHAR A SUA SIMPATIA EM QUALQUER LUGAR

PENSANDO BEM VOCÊ QUE TINHA RAZÃO
pesando bem cada fato...
NÃO HÁ TRAGÉDIA É SÓ O FIM E A CANÇÃO
ficou mais leve e o barato...
É OLHAR A RUA SEM MEU OLHO LHE PROCURAR
E ACHAR A SUA SIMPATIA EM QUALQUER LUGAR


PENSANDO BEM VOCÊ QUE TINHA RAZÃO
pesando bem cada fato...
NÃO HÁ TRAGÉDIA É SÓ O FIM E A CANÇÃO!



NOTAS DA LUA NUA:
Algo nessa música me "despregou" da tristeza que senti...
Acho que agora tô bem...
Acho que se você clicar no título da música vai poder ouvir...
O projetinho que fiz não tenho como pôr aqui, quem quiser ler me fala e mando via e-mail...

5 comentários, falta o seu:

Abra seus braços para as mudanças, mas jamais abra mão dos seus valores.Stellinha disse...

Olá Lua Nua!
Por uma bela coincidência encontrei você no blog de Guinevere.
Peço que me perdoe entrar assim, sem pedir licença....Mas o que li em seu espaço me
Tocou profundamente. Explico. Não faz muito tempo enfrentei uma situação muito similar, onde entrei em uma empresa, área que não fazia muito minha cabeça, mas sendo eu da área de humanas (psicologia), pensei: não tenho nada a perder, lidaria com pessoas que é meu maior prazer no trabalho. Tinha mudado de cidade, de estado, e estado civil...rs Portanto a dificuldade de entrar no mercado de trabalho é muito grande. As pessoas dessa empresa me passaram uma imagem maravilhosa...em um primeiro momento...porque quando acertamos de eu fazer uma semana de experiência para então decidir se estaria decidida a ficar...as coisas começaram a mudar. Na prática comecei a ver que aquilo não tinha nada a ver comigo, e que a empresa pregava uma política e atuava totalmente contraria na realidade...e o mais interessante, se dizia “Humana”. Comecei a perceber que as pessoas se matavam de trabalhar literalmente, não havia hora para sair, muito menos fim de semana...e aquilo começou a me incomodar. Foi então que fiz alguns comentários com cautela com a psicóloga da mesma...ali começaram as minhas antenas a pipocar...minha intuição fervia...e minha decepção se tornou presente no dia em que estava fazendo três dias de trabalho, ela a psicóloga me falou assim: Acho que vc não está dando conta, isso não é para vc, etc...Eu só consegui abrir minha boca e dizer: Você tirou um peso enorme de minhas costas...e chorei...de tristeza, decepção, de ver que tudo o que luto contra, ocorreu exatamente comigo de forma cruel. Mas hoje querida, agradeço a eles. Sabe por quê? Porque são exatamente essas pessoas que nos mostram o que não queremos para nós. Aprender com as dores é mérito de poucos...Hoje, me sinto feliz em poder compartilhar minha experiência em laboratório e dizer: Valeu cada momento vivido ali. Aprendi uma experiência que equivale a muitos anos na ativa. Hoje já não me iludo mais. Hoje, tenho a verdadeira dimensão do quanto sou capaz, senão não teria colocado tanto medo nas pessoas dessa empresa com minha capacidade de saber diferenciar um trabalho de uma fábrica de dinheiro...
Fico orgulhosa de sua história e de saber que assim como eu, tens o maior tesouro em sua vida. Sua Família! Por eles enfrentamos e aprendemos diariamente. E o mais lindo disso? Jamais nos vendemos.
Um grande abraço com carinho a desejos de que seus sonhos se realizem!
VOCE MERECE!!!
Stellinha :)

Pobre Pampa disse...

Teu filho tem razão! Tua vingancinha vai ser ver o que ela fez...

Wladimir disse...

Lua, ano passado tava dando aula numa escola de massagem. Vesti a camiseta e todas as outras peças. Fiz o site da escola, sugeri uma mudança visual em tudo, botei a mão na massa e passei alguns dias ajudando na reforma, até o cachorro deles eu cuidei quando saíram por uma semana! Afinal eram mais que patrões, eram meus amigos! Fiz minha formação toda na escola, nos últimos nove anos. Ajudava até no atendimento ao telefone, se necessário. Refiz as apostilas principais da escola, de massoterapia e de quiropraxia, usando meus conhecimentos de informática, de editoração eletrônica, do bom uso do português e, claro, dos assuntos em si, nos quais sou formado. Mas aí, um dia apareci com uma turma de sete pessoas (todos de minha relação pessoal) prontas para começar uma nova turma na escola, quase no final do ano, quando a escola fica quase vazia normalmente. Eles não estavam a fim de trabalhar naquela época. Como todos os sete queriam mesmo era ter aulas comigo, sugeri que eu assumiria o pepino, ficando pra eles apenas a supervisão. Quando fomos falar em grana, ouvi um sonoro "mas isso é falta de ética!" da patroa. Ele, quieto, constrangido. Bati boca durante uma hora com ela e entreguei a chave da escola na mão dele antes de sair para nunca mais colocar meus pés ali dentro. Um detalhe interessante: tudo que descrevi, todas as tarefas que realizei foi ao custo de nenhum tostão para eles. Mas isso ela nunca achou que fosse falta de ética da minha parte. Na época, escrevi no outro blog, não sei se vc lembra: "o que é pior? uma mulher jararaca ou um homem banana? pior mesmo é quando os dois se juntam..." Enfim, minha cara, como dizem a Stellinha e o PoPa, de repente vc se livrou de uma bomba e ainda vai ter sua vingancinha, desejando-a ou não. Respira fundo e abre o peito pra vida. Bobagem esse conselho. Vc já é assim! Risos.

Lua Nua disse...

Puxa, obrigada pelo incentivo de vocês! Foi muito importante e gostoso aprender com suas histórias.

Stellinha,
Aqui ninguém precisa pedir licença e nem se desculpar de nada não menina.

Essa casa vive de portas, janelas e caminhos abertos parar quem aqui chega em paz. Passei nos seus 2 blogs, mas meu micro tá com surto psicótico (indo para o médico agora de manhã) e ficava desligando toda hora. Encheu meu saco e saí, mas hj vou te ler com carinho. Vi que temos muitas coisas em comum, inclusive um mesmo título de post: VOCÊ É O QUE PENSA. Legal, né?

PoPa e Wlad,
Num quero vingancinha nenhuma não, comigo ou "sem migo" eu quero mesmo é que o sócio/marido se dê bem pq ele merece (apesar de ser meio "banana" como falou o Wlad).

Espero é que eles decolem, arrumem um monte de clientes e fiquem ricos, mesmo com a programação visual feia dela (he he he é feia pra carai). Sou do partido "viva e deixe viver"...

Beijos em todos

)O(Lua Nua)O( disse...

Infelizmente a firma não conseguiu decolar e fechou. Não sei do que foi feito dos 2. Bateram asas...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...