domingo, 6 de maio de 2007

BRASIL DEFICIENTE

Antes de eu começar a discorrer sobre a "bola da vez", ou melhor, sobre o assunto escolhido, eu queria dizer só duas coisas:

1. Sou nacionalista! Sou sim, isso pode ser meio brega, mas na minha adolescência nunca curti bandeira do país do tio Sam, coisa que era quase lei dos adolescentes. Às vezes rolava uma da Inglaterra, mas é que eles são assim meio bestas que nem eu. Como a ditadura proibia que usássemos os símbolos do meu país no corpo, optei por nenhum. Por causa disso, vivi algumas situações esdrúxulas como curtir MPB enquanto meus amigos gostavam de Beatlhes e Roling Stones e ser, até hoje, assumidamente inglesfabeta por opção;

2. Incrível, mas desde bem nova optei por conhecer meu Brasil inteiro antes de viajar para outros países. Isso tem me custado meus últimos 23 anos de vida, pois conhecer o Brasil de cabo a rabo é preciso ter uma grana federal. Ainda falta o norte do nordeste (de Pernambuco ao Amazonas).

Bom, isso posto, pois quis deixar bem claro que sou uma das poucas brasileiras que amam esse chão. Posso começar a discorrer a pauta de hoje, ou a bola da vez, como gosto de falar.


Depois de assumir meu amor pelo meu chão, pela minha terra, pela minha pátria, tenho estofo suficiente pra falar que somos um país de tupiniquins de merda.

Uau! Não era para eu começar desse jeito, mas a realidade é que por sermos um País de Tupiniquins de Merda e mesmo copiando, ou tentando copiar o que tem de melhor "nos estrangeiros", fazemos tudo errado.

Cacete! Mas nem copiando não fazemos direito?

Negócio é o seguinte:

Hoje fomos, marido e eu, a mais uma das apresentações de um grupo de samba de amigos nossos. O samba estava perfeito, o Confraria do Samba toca com excelência. E o que estava errado?

O banheiro!

Pois é, foi quando fui ao banheiro é que vi algo que não combinava. Não era a limpeza, pois isso aqui no sul maravilha temos de qualidade, apesar de ele não estar um primor. Então o que era?

Um sanitário projetado para deficientes físicos.

Pô! Que legal, né? Brasilzão Tupiniquim cuidando bem dos nossos deficientes, fazendo sanitário pra que eles possam ter conforto.

- Sim!

A não ser por alguns detalhes:

1. A cadeira de rodas não passa pela porta do banheiro, o que impossibilita o acesso ao sanitário;

2. A porta do sanitário, por ser mais larga, cedeu. O trinco não tranca, a não ser que a gente levante a porta com o pé. Coisa que acho difícil para uma deficiente física de membros inferiores conseguir fazer;

3. Mulheres não deficientes usaram o sanitário e pasme! A tábua (patente ou tampa) estava mijada. Para mim que consigo fazer xixi em pé não foi problema algum, mas imagino uma mulher de cadeira de rodas, com dificuldade de locomoção, sair da sua cadeira limpinha e sentar numa privada toda mijada. Que porcaria!

Fotos: Cláudia Eggert

Tudo errado no banheiro das mulheres.

E não só nele, pois quando meu marido voltou do banheiro eu perguntei a ele se tinha algo assim para deficientes e ele respondeu que não.

Legal, né?

Parece que nesse país só deficientes mulheres podem mijar. Homens fazem o quê? Vão ao banheiro masculino e fazem no chão?

Ser tupiniquins é mesmo uma merda!!!!

Espero que a gente amadureça como nação o mais rápido possível.

Ou será que isso aí nem era um banheiro para deficientes físicos?

7 comentários, falta o seu:

Vlad disse...

Olá Lua ! Como seu leitor assíduo, cá estou eu novamente.

Penso como você, exatamente. Também pretendo conhecer o meu país antes de me aventurar mundo afora, mas por enquanto falta grana, mas eu chego lá. Sem contar que tenho ótimos contatos via net (ótimos mesmo, pois sou muito seletivo quanto a isso, e os que qualifico como ótimos, realmente o são e faço questão de mantê-los!) espalhados por todo país, como é seu caso, e pretendo conhecer estas pessoas também. Sem contar que te conhecendo vou ter a chance de ver o "lendário" El Bigodon!!!

Quanto ao post, como fazem um sanitário para uma pessoa deficiente física, e não fazem uma entrada para a cadeira de rodas? Ou supõe-se que a pessoa fará o resto do trajeto se arrastando pelo chão "mijado"????

Poxa, quem mandou construir teve até boa intenção, mas só boa intenção não resolve o problema. Como você disse, será que nem copiar sabemos? E isso de banheiro só para deficiente mulher, me incomodou, mesmo não sendo deficiente. Tá certo que que homem "mija" em qualquer lugar igual cachorro e mulher não tem essa regalia, mas estamos falando de consumidores no caso. Um absurdo isso. Outra coisa que não entendi... como um vaso para mulheres pode estar "mijado" nas bordas? Alguns homens têm uma dificuldade em acertar o alvo, mas mulheres? Elas ficam tão "mais perto" do alvo! Mas não precisa explicar Lua !!! Pelo que te conheço você vai acabar sendo direta demais na explicação !!! Prefiro acreditar que tais mulheres sejam somente "descuidadas" mesmo.

Em resumo...

Ser deficiente físico já tende a ser complicado, mas ser deficiente físico em países sub-desenvolvidos, é pior ainda...


Grande Abraço

Lua Nua disse...

Vlad

Normalmente aqui no sul temos banheiros bem limpos, inclusive uns que a gente aperta um botão e roda um saco plástico na tábua. Não me pergunte de onde vem o plástico, nem pra onde vai pq eu não sei. Sei que ele é descartável. Só que em banheiros comuns algumas mulheres não sentam. A borda do vaso estava mijada porque não temos muito know how e nem estrumento próprio para fazeremos em pé. Aí quando a primeira manguacenta faz isso, as outras não podem mais sentar. Sacou? Eu tenho um jeito de fazer em pé sem fazer essa caca toda, mas preciso estar de saia, de calça comprida não dá. Depois explico ok?

he he he Acho que fui direta sem assustar.

Aqui pro sul maravilha é só avisar quando vem, ok? Acho que no próximo ano, ou ano e meio, ainda ficaremos nessa casa - que mais parece uma pensão de tantos amigos de filhos que vêm pra cá.

Beijos

Cris disse...

Em outros países há empresas especializadas em construções para deficientes...Será que no Brasil tem? Acho que não, ao menos não tenho conhecimento.Daí fica só nisso, boa intenção sem efeito prático.

Bjocas!

Bruxinhachellot disse...

Somos tão incompetentes que nem conseguimos copiar direito. Em alguns shoppings do Rio vemos sanitários para deficientes e para crianças, além de lavatório especial. Até aí tudo bem, agora quanto a manutenção e limpeza, creio que ainda há deficiências.

Beijos de água e ar.

LU_ANA disse...

kkkkkkkkkk
Este post do banheiro foi simplesmente fodástico! Quando adolescente minha mãe contou uma história meio absurda sobre o perigo de meninas sentarem em banheiro público e, por ser totalmente fresca levei isso tão a sério q NUNCA “mijei” sentada nem na minha casa pq eu pensava q assim como na rua, outros usavam o banheiro além d mim e o perigo seria o mesmo.
No sul realmente as pessoas são privilegiadas em matéria d higiene e qualidade de vida, mas, já participei de congressos, cursos e seminários onde os banheiros femininos me faziam sentir vergonha por estar ali. Lembro-me de uma vez em q eu e minha colega pedimos licença e usamos o banheiro masculino por total falta de condições higiênicas para utilizar o sanitário feminino. Assunto este q foi motivo de discussão durante o curso. As mulheres q me desculpem, mas os homens apesar do seu defeito de pontaria são muito + “limpinhos” q nós.
Lua, em SC as escolas construídas ou reformadas têm no seu projeto a obrigatoriedade na construção de banheiros adequados aos deficientes físicos, assim como rampas de acesso a todas as dependências das mesmas. É claro q ainda falta muito para o ideal, mas é a inclusão vindo por meio da educação.
Bjusssssssss!!

Mariposo-L disse...

Feliz dia das mães e você por tudo que leio aqui deve ser a mãe que todos os filhos sonham em ter "

Um beijão especial neste dia especial !

Lua Nua disse...

Mariposo-L
Tá maluco?!?!?!
A pior coisa que existe na vida é "mãe pensante", tem dias que meus filhos me odeiam kkkkkk

Beijos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...