sábado, 24 de maio de 2008

MOLEQUE ATREVIDO

Foto tirada para uma festa à fantasia na época da faculdade


Sempre me vi como um "moleque" e atrevida sei que sempre fui e serei.

Gostei da letra dessa música porque fala de duas coisas que gosto muito: SAMBA e RESPEITO.

... por isso vê lá onde pisa
Respeite a camisa que a gente suou
Respeite quem *pode*
chegar onde a gente chegou".
(leia-se o antigo verbo *pôde* com acento)

Optei por postar essa música porque tenho vivido algo inusitado desde setembro do ano passado. Algo como um vendaval ou mesmo um furacão na minha vida. Pondo coisas onde não existia nada e dispondo o já estabelecido. Virei a marca dos 50 (anos) sob um imenso vendaval que tem me trazido algumas coisas boas e outras MUITO boas!

Exatamente por isso ando meio fora da net, mas muito dentro da vida. Sentindo muito, saboreando muito, vivendo muito... e acho que isso depois de meio século de vida é fundamental, afinal de contas sentir o sabor da vida mesmo indo ao encontro da morte é algo que me deixa extremamente feliz já que nossa idade nunca diminui e sim aumenta... nos deixando mais perto "dela".

Vi muitas pessoas envelhecerem e ficarem velhas. Velhas, sem esperança, sem sonhos, sem tesão de viver e por isso, acho, que morrem. Não sei como e nem porque, mas vivo cada dia mais intensamente, mesmo caminhando de cabeça erguida para um fim esperado e não conhecido que poderá ser amanhã ou daqui a 50 anos.

Lá vai a música de hoje:

MOLEQUE ATREVIDO
Jorge Aragão

Quem foi que falou
Que eu não sou um moleque atrevido
Ganhei minha fama de bamba
No samba de roda
Fico feliz em saber
O que fiz pela música, faça o favor
Respeite quem pode chegar
Onde a gente chegou
Também somos linha de frente
de toda essa história
Nós somos do tempo do samba
Sem grana, sem glória
Não se discute talento
Mas seu argumento, me faça o favor
Respeite quem pode chegar
onde a gente chegou
E a gente chegou muito bem
Sem a desmerecer a ninguém
Enfrentando no peito um certo preconceito
e muito desdém
Hoje em dia é fácil dizer
Que essa música é nossa raiz
Tá chovendo de gente
que fala de samba e não sabe o que diz
por isso vê lá onde pisa
Respeite a camisa que a gente suou
Respeite quem pode chegar onde a gente chegou
E quando pisar no terreiro
Procure primeiro saber quem eu sou
Respeite quem pode chegar onde a gente chegou

Não sei se vai rolar ouvir a música, mas vamos tentar? Clica aqui

6 comentários, falta o seu:

Mariposo-L disse...

è isso que admiro em você o tempo passa e você vai ficando uma jovem com experiencia, também quero ficar assim ....

beijo ....

Lua Nua disse...

Eu acredito que isso é mesmo uma de opção de vida. Sempre acreditei que ficar velha e envelhecer são coisas diferentes. Temos que ficar velhos, mas não precisamos envelhecer.

Eu acho que você também vai conseguir.

Beijos nos 2

Pobre Pampa disse...

Caramba! Adorei a foto!!! Tens razão quanto à diferença entre ficar velho e envelhecer. Tô quase na idade de entrar na fila dos "idosos" com dor nas costas, cabelos e barba brancos. Mas, ao contrário de ti, acho que devemos envelhecer, sim, mas não ficar velhos!

Um amigo sempre dizia que não existem velhos chatos, mas simplesmente chatos que ficaram velhos. É só manter o espírito jovem e sempre buscar novas experiências e renovar as antigas. A idade traz algumas vantagens e a principal delas é poder ter opiniões e expressá-las, perdendo um pouco o "freio" imposto pela sociedade de nossa época (minha, não tua).

Lua Nua disse...

Minha época também PoPa...

Acho que entre envelhecer e ficar velho eu troquei tudo, você que está certo...

Beijos

Cris disse...

Oi, Lua!
Amei a foto, a tua cara, linda!
beijos

Lua Nua disse...

Oi Cris sumida!!!!!!!

Essa roupitxa elegante foi para uma festa a fantasia na facu.

Optei por não alugar e sim catar o que tinha em casa. Cheguei na festa com o skate e tudo. Imagina a zoada do povo, eu era a mais velha da galera.

Beijos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...